Monday, April 02, 2007

A multiplicação da criatura

parece, senhor , que me desdobrei .
que me multipliquei,
que a chuva dos céus cai dentro de minhas mãos ,
que os ruídos do mundo gemem nos meus ouvidos,
que batem trigo , chorando , sobre o meu tronco nu,
que cidades se incendeiam dentro de minhas órbitas .
parece , senhor que as noites escurecem dentro do meu ser multiplo ,
que eu falo sem querer por todos meus irmãos ,
que eu ando cada vez mais a procura de ti .
parece, senhor, que tu me alongaste os braços
à procura de abóbadas raras e iluminadas ,
que me estiraste os pés repousantes no limbo,
que os pássaros cansados em meu ombro repousam
sem saber que o espantalho é a semelhança tua .
parece que em minhas veias
correm rios noturnos
em que barqueiros remam contra marés montantes.
parece que em minha sombra
o sol desponta e se deita ,
e minha sombra e meu ser
valem um minuto em ti.
( murilo mendes)




E QUE TODOS OS HUMANOS NA TERRA PRECISAM DE DEUS , SUA FORÇA E MAGIA PRA GUIAR SEU RUMO LONGE DA FALSIDADE , MENTIRAS E MALDADES QUE NESSE MUNDO TEM DE SOBRA ...

AMÉM SENHOR !

1 comment:

fabricio said...

em qualqer canto,pra qualquer canto,ou tipo de louvor,a seita....sem simpatia ou corpo fechado.